Sobre a Wilson Sons

Consolidada como uma das maiores operadoras de serviços portuários, marítimos e logísticos do Brasil, a Wilson Sons oferece soluções especializadas nas áreas de terminais portuários, rebocagem, apoio a operações offshore, logística e agenciamento marítimo. Com mais de dois mil clientes ativos, sua carteira é composta por armadores, importadores e exportadores, empresas do setor de óleo e gás e de diversos setores da economia, como alimentício, farmacêutico, papel e celulose, siderúrgico e petroquímico, com os quais a Companhia mantém uma parceria duradoura.

Constituída na forma de companhia de capital aberto, a Wilson Sons tem sede localizada em Bermudas. Desde 2007, seus títulos são negociados na BM&FBovespa, por meio de Brazilian Depositary Receipts (BDRs). É controlada pela Ocean Wilsons Holdings Limited, uma companhia de capital aberto, com ações negociadas na Bolsa de Valores de Londres há mais de cem anos.

Os negócios da Wilson Sons são divididos em dois grandes segmentos de atuação: o Portuário & Logístico e o de Serviços Marítimos. Por meio desses dois agrupamentos de atividades, a Companhia foca em seus dois grandes drivers de crescimento: o fluxo de comércio doméstico e internacional e a indústria de óleo e gás.

É representado pela Wilson Sons Terminais e a Wilson Sons Logística. A primeira opera dois dos principais terminais de contêineres no Brasil, Tecon Rio Grande e Tecon Salvador e a Brasco; empresa especializada em bases de apoio à indústria de óleo e gás. Já a Wilson Sons Logística inclui um centro logístico, em Itapevi (SP), um centro logístico em Suape (PE), e armazéns alfandegados, em Santo André (SP) e Suape (PE).

 

Wilson Sons Terminais

Tecon Rio Grande

Desde 1997, a Wilson Sons contribui para a criação de um novo panorama para esse segmento, operando o Tecon Rio Grande, primeiro terminal de contêineres privatizado no país. O Tecon Rio Grande está localizado em Rio Grande (RS), a 320km da cidade de Porto Alegre, capital do estado de Rio Grande do Sul. O terminal possui área total de 670.000 metros quadrados e 900 metros de cais contínuo, com calado de 42 pés (15 m) e capacidade de movimentação de 1,35 milhão de TEUs por ano. Os equipamentos são de última geração, entre eles: seis guindastes Post-Panamax STS (Ship to-Shore) e 14 guindastes RTGs (Rubber Tyre Gantry), além de 2.800 tomadas para contêineres refrigerados. O terminal opera através dos modais rodoviário, hidroviário e ferroviário. Durante o ano de 2015, o terminal movimentou 742.961 TEUs.
 

Tecon Salvador

Operado pela Wilson Sons desde 2000, ano de seu arrendamento, o terminal movimentou 292.206 TEUs em 2015. Com a inauguração da expansão no final de 2012, o terminal possui atualmente 118 mil m2 de área e um cais de 377 metros e 15 metros de calado e outro cais de 240 metros e calado de 12 metros. O Tecon Salvador também tem três guindastes ship-to-shore (STS) do tipo Super Post Panamax e outros três guindastes ship-to-shore (STS) Panamax, assim como oito RTGs sendo seis totalmente elétricos. 
 
O terminal oferece serviços como movimentação de contêineres, armazenagem de contêineres vazios, carregamento e descarregamento de contêineres, bem como cargas de projetos, tais como aqueles que têm tamanhos ou pesos especiais. Desde o início, a empresa tem feito investimentos constantes na aquisição de novos equipamentos e melhoria de infraestrutura, sistemas de informação e treinamento. Com esses investimentos efetuados, o terminal já é capaz de receber algumas das maiores embarcações de contêineres do mundo.
 

Brasco

Fundada em 1999, a Brasco tem os maiores terminais privados dedicados à indústria de petróleo e gás no Brasil. Suas duas unidades, localizadas em Niterói e no Rio de Janeiro, estão estrategicamente posicionadas na Baía de Guanabara e têm capacidade para apoiar as atividades nas bacias de Campos e Santos. Além disso, a Brasco tem experiência e mão-de-obra qualificada para montar bases em todo o litoral brasileiro e na América do Sul, já tendo operado em São Luís (MA), Belém (PA), Salvador (BA), Fortaleza (CE) e Vitória (ES). 
 
A atuação da Brasco abrange, principalmente, o armazenamento, movimentação e entrega de suprimentos para as plataformas marítimas, incluindo peças, equipamentos, lama, cimento e produtos químicos, além de insumos como alimentos e água. A base de apoio, por meio da Central de Recolhimento de Resíduos, também recebe, processa, separa e dá o destino correto aos resíduos que retornam das plataformas de óleo e gás. 
 

Wilson Sons Logística

A Wilson Sons Logística tem seu modelo de negócio baseado no desenvolvimento de soluções logísticas integradas para cada segmento de clientes. A empresa atua nas áreas de armazenagem
alfandegada e operações gerais, gestão de estoque, soluções dedicadas (in-house), distribuição, gestão de transporte e soluções de comércio exterior.
 
A empresa administra o EADI Santo André, o maior porto seco em São Paulo, que opera totalmente integrado ao Centro Logístico Itapevi, às operações de transporte o EADI Suape, que opera igualmente integrado ao Centro Logístico Suape e às operações de transporte.
 
Reúne a frota de rebocadores da Wilson Sons, o estaleiro e os serviços de agenciamento marítimo. Também compõe os serviços marítimos da Companhia a Wilson Sons Ultratug Offshore, uma Joint Venture na qual a Wilson Sons possui 50% de participação, cujas embarcações oferecem apoio às plataformas de exploração e produção de óleo e gás.
 

Wilson Sons Rebocadores

A Wilson Sons conta com a maior frota de rebocadores no Brasil, dos quais cerca de 86% são dotados de propulsão azimutal, o que permite maior capacidade de manobra, além de proporcionar maior segurança e agilidade às operações. Por estas razões, a Wilson Sons Rebocadores é líder de mercado no segmento de manobras portuárias no Brasil e é ativa em serviços de rebocagem portuária e oceânica.
 
A empresa tem mais de 70 rebocadores e a construção de novos rebocadores é parte da estratégia de renovação da frota para atender à demanda impulsionada pelo crescimento da indústria de óleo e gás e pelo fluxo de comércio internacional. Além dos serviços de rebocagem, a empresa também oferece serviços especiais, incluindo salvatagem, combate a incêndio, rebocagem oceânica, o apoio à construção de plataformas e FPSOs (Floating Production, Storageand Offloading Vessels).
 
Em 2015, foi lançado um novo rebocador, o WS Titan, e outros cinco rebocadores têm lançamento previsto para 2016. O negócio de rebocagem conta com financiamento do Fundo da Marinha Mercante (FMM), concedido por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Banco do Brasil, com taxas de juros atrativas e longos prazos de amortização.
 

Wilson Sons Estaleiros

O complexo de estaleiros da Companhia hoje ocupa uma área total de 39mil m² e tem capacidade para a construção ou manutenção simultânea de embarcações de pequeno e médio porte, principalmente para apoio offshore e portuário. Localizado no Guarujá (SP), o complexo está estrategicamente próximo das duas mais importantes bacias de petróleo do Brasil: Santos (SP) e Campos (RJ).
 
Com a conclusão das obras de expansão em abril de 2013, a capacidade de construção do Estaleiro mais que dobrou, passando de 4.500 toneladas de aço processado ao ano para 10.000 toneladas. Desta forma, os dois estaleiros têm intensificado a construção para terceiros e contam atualmente com uma carteira de encomendas de cinco rebocadores para a Wilson Sons Rebocadores e três Offshore Support Vessels (“OSVs”), sendo: um Oil Spill Recovery Vessel (“OSRV”) para a OceanPact e dois Platform Supply Vessel (“PSVs”) para a Wilson Sons Ultratug Offshore e o final da construção de um Oil Spill Recovery Vessel (“OSRV”) para SIEM Consub. Logo após o final do ano, terceiros assinaram contrato para construção de dois rebocadores nos nossos estaleiros com opções para construção de mais quatro embarcações.
 

Wilson Sons Ultratug Offshore Joint Venture

A Joint Venture Wilson Sons Ultratug Offshore (WSUT) tem uma das maiores e mais modernas frotas de embarcações de apoio offshore com bandeira brasileira. As embarcações da WSUT operam como apoio marítimo para as plataformas de exploração e produção de petróleo e gás. Sua principal atividade é apoiar logisticamente o fornecimento de equipamentos e outros produtos, como lama de perfuração, tubos, alimentos, cimento, resíduos e outros materiais entre plataformas offshore e bases de apoio.
 
Para 2016, WSUT receberá dois PSV's com deadweight de 3.500 toneladas que estão sendo construídos por um estaleiro internacional, além de outros 2 PSV’s com deadweight de 5.000 toneladas que já possuem contratos de operação e estão sendo construídos no Estaleiro Wilson Sons Guarujá.
 

Wilson Sons Agência

Origem dos negócios da Companhia, a Wilson Sons Agência iniciou suas atividades em 1837. É a maior agência marítima independente do país, presente nos principais portos brasileiros, atuando diretamente em nome dos armadores na prestação de serviços de atendimento às embarcações e na representação comercial. Conta com representantes exclusivos na Europa e nos Estados Unidos, além de um escritório próprio em Xangai, na China.
 
A Agência opera na logística de equipamentos e documentação de embarque e também no atendimento operacional da escala de embarcações de frotas regulares (liner) e não regulares (tramp). Também possui expertise na preparação de toda documentação relativa ao transporte marítimo, gestão logística dos contêineres e controle de demurrage (tempo de devolução dos contêineres).